Avenida 85, n.º 1940, Salas 201/202/203 - Setor Marista, Goiânia - GO, 74160-010
  • (62) 3241-9929

Pix avança e já pode ser usado para pagamento de impostos

DATA: 11/02/2024

Desde o seu lançamento, em 2020, o Pix se popularizou pela sua facilidade transacional, instantaneidade no pagamento e gratuidade para pessoas físicas. Hoje, a modalidade já alcançou a maioria dos brasileiros, conquistou a marca de R$ 16 tri movimentados em 2023 e se tornou o método de pagamento mais utilizado no país, segundo o Banco Central.

Com o crescimento, o meio de pagamento avançou e já se tornou uma forma de acerto dos impostos mais tradicionais de começo de ano, como Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) , Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e outros tributos, como pagamentos de multas de trânsito e licenciamento veicular.

Como de costume, os pagamentos de começo de ano impactam a vida do brasileiro, que busca desconto e praticidade na hora de acertar o imposto devido. Com o pagamento via Pix destes tributos, a certeza de instantaneidade na transação é válida, levando até possíveis descontos para os contribuintes.

“No caso do IPVA pago em cota única via Pix no estado de São Paulo, poderá haver desconto de 3% na operação. A realização da conta é feita através da leitura de um QR CODE. Além disso, no caso de contas com possibilidade de parcelamento, como é o caso do IPVA e o IPTU, o cliente pode utilizar o Pix Agendado, caso este produto seja disponibilizado pela sua instituição financeira”, comenta o gerente de produtos da C&M Software, Wellington Silva. 

Como pagar o IPVA com Pix? 

Em São Paulo, por exemplo, basta seguir os seguintes passos:

  • Acesse o site da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo;
  • Procure pela opção de pagamento do IPVA e selecione a opção de pagamento com Pix;
  • Será necessário gerar um código QR com os dados da cobrança, incluindo o valor do IPVA, a placa do veículo e o Renavam;
  • Abra o aplicativo do seu banco ou instituição financeira que seja compatível com o Pix;
  • Selecione a opção de pagamento via QR Code e leia o código gerado no site da Secretaria da Fazenda;
  • Confirme os dados da transação e conclua o pagamento.

Em São Paulo, por exemplo, além do IPVA, foi liberado o pagamento de multa, licenciamento e transferência de veículos por Pix. A quitação de débitos veiculares pode ser feita via QR Code obtido no portal da Secretaria da Fazenda e Planejamento (Sefaz).

Novas possibilidades com Pix automático

O avanço do Pix não se limitou apenas ao pagamento de contas rotineiras, mas o meio de pagamento também correu para o desenvolvimento de novas tecnologias, como é o caso do Pix Automático, usabilidade anunciada pelo Banco Central para o segundo semestre de 2024. 

Pagamento de contas de consumo, telefonia, contas diversas, mensalidades, faturas de cartão, serviços de streaming, dentre outros poderão ser feitas através do Pix automático.

“Lembrando que o usuário formaliza um contrato com a prestadora de serviços ou concessionária, informando um valor limite para o débito. Caso este valor seja ultrapassado, a cobrança não é realizada, necessitando de uma alteração no valor indicado junto à empresa ou uma outra forma de cobrança”, explica o gerente de produtos. 

Prejuízo para empresas que ainda não tem Pix

Em 2024, ainda existem empresas que não aderiram ao Pix como forma de pagamento em seus estabelecimentos e serviços, sendo o cartão de crédito ou o próprio boleto os protagonistas. Consequentemente, também resistirão em utilizar o Pix Automático no começo. 

“É uma questão de tempo para todos os serviços e empresas utilizarem o Pix. Por ser um serviço muito mais barato e não depender de um sistema de compensação, pois o pagamento entra na conta da empresa instantaneamente. Isso ajuda no fluxo de caixa, bem como no impacto em suas receitas. Eu creio que o cartão de crédito não desaparecerá. São serviços que convivem bem. O Pix pode ser um grande aliado deste mercado, para recebimentos. A operação de liquidação das faturas fica mais barata e muito mais ágil. Já em relação ao boleto, não digo que desaparecerá, mas o Pix já vem ocupando um espaço que antes era dominado pelos boletos, e tende a dominar mais espaço ainda com o Pix Automático”, finaliza Wellington.

Com informações Agência Conttato

Compartilhar: